Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Relação entre a destruição da natureza e as pandemias

Mäyjo, 28.04.20

Quanto mais se destruir a natureza e poluir o planeta, mais pandemias vão aparecer.

Facto: 75% das doenças infecciosas emergentes são transmitidas através de animais (zoonoses): gripe aviária, gripe suína, febre aftosa do consumo de leite não pausterizado de vaca contaminada, zika, ebola, coronas, doenças de ratos, morcegos e etc...

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) listou alguns factos ambientais que favorecem o controlo, ou a disseminação, de novos patógenos na sociedade e explica que a biodiversidade ajuda a controlar doenças zoonóticas:  
 Desflorestação e mudanças no uso do solo afetam a estrutura populacional da vida selvagem;
 Ao perder habitat e reduzir a biodiversidade, alguns patógenos presentes em animais selvagens, rebanhos ou animais domésticos atingem seres humanos;
 O comércio ilegal e irregular de animais selvagens favorece a disseminação de novos vírus na sociedade;
 A intensa produção pecuária favorece o surgimento de novos vírus;
 O uso de antibióticos na pecuária gera resistência antimicrobiana;
 As mudanças climáticas também favorecem o surgimento de novos patógenos na sociedade.

94192410_1730040910471841_6985794917175918592_o.pn

Fonte: Árvore: Ser tecnológico

 

 

 

UM FILME SOBRE OS NOSSOS RIOS D’OURO

Mäyjo, 21.09.19
 
 
Deixar os rios correrem livremente é uma condição para que estes se mantenham saudáveis, e hoje, não há nenhum grande rio português que não tenha uma barragem a impedir que isto aconteça.
No filme documentário Rios D’Ouro, produzido pela P35 para a Rede Douro Vivo, podemos ver tudo aquilo que arriscamos perder quando não protegemos os nossos rios. Em imagens de tirar a respiração, mostra como são importantes. Mostra como impactam as nossas vidas e como são essenciais para a natureza que nos rodeia.
 

f66ac6dc1dfb6fc6331def4e39a5b2e0.png

 

 

GRANDES JARDINS EM VÍDEO

Mäyjo, 03.07.17

Sunnylands Gardens

Há muitos locais na Terra que merecem ser vistos (e visitados). E muitos criados pela mão do Homem. É o caso dos Sunnylands Gardens, em Palm Springs, na Califórnia. O vídeo que aqui partilhamos é o segundo episódio de série intitulada “Great Gardens”, uma parceria editorial do canal de vídeo NOWNESS e da revista House & Garden. Realizado pelo cineasta londrino Toby Amies, o vídeo captura toda a beleza dos jardins do Sunnylands Center em Rancho Mirage, Califórnia. 

 

“Sunnylands é um verdadeiro oásis do deserto para todos”. É assim que são apresentados estes jardins mágicos, com qualquer coisa de extra-terrestre, desenhados pelo artista paisagista James Burnett como extensão da propriedade histórica do diplomata norte-americano Walter Annenberg e sua mulher, Leonore Annenberg. Os Annenbergs eram filantropos extraordinários e doaram vários milhões de dólares a escolas, universidades, hospitais e organizações culturais. A sua propriedade era usada como retiro de Inverno no final dos anos 60, um local onde receberam convidados célebres, como a rainha Isabel II, Richard Nixon, Frank Sinatra e Truman Capote.

Apaixonada por flores e pela Natureza em geral, Leonore Annenberg morreu em 2009, deixando em testamento a visão de um jardim com sensibilidade ambiental, partilhado por espécies autóctones de flora e fauna, incluindo iguanas do deserto, borboletas monarca, falcões e vermelhos. Um local de passeio e reflexão, acessíveis a todos.

O Sunnylands Center & Gardens, em Palm Springs, na Califórnia, está aberto ao público de quinta a domingo, das 8h30 às 16h00.

Foto: Creative Commons

 

Os céus do Alentejo

Mäyjo, 30.05.17

ceus_aFOTÓGRAFO PORTUGUÊS CAPTA OS CÉUS MENOS POLUÍDOS DO MUNDO 

A vida selvagem na bacia do Nilo

Mäyjo, 24.05.17

nilo-1

O Nilo é considerado o rio mais comprido do mundo, estendendo-se por 6.853 quilómetros ao longo do continente africano. Os seus recursos hídricos são partilhados por nada mais nada menos que onze países.

A fonte primária do Nilo é o Lago Victória, mas são vários os afluentes que contribuem para alimentar este grande curso de água e a sua bacia hidrográfica. Os dois principais afluentes do rio são o Nilo Branco e o Nilo Azul. O Nilo Branco é considerado o curso primário do próprio Nilo, partindo do Lago Victória. Já o Nilo Azul é a principal fonte de água e de solo fértil, nascendo no Lago Tana, na Etiópia. Os dois Nilos juntam-se na capital do Sudão, Cartum. Daí, o Nilo corre para o Lago Nasser, no Egipto, e depois para o delta, desaguando no Mediterrâneo. É dos poucos grandes rios que corre de sul para Norte.

A bacia hidrográfica do Nilo compreende cerca de 3.400.000 quilómetros quadrados e alberga uma grande diversidade de vida selvagem, que Harald Pokiesser fotografou para o Guardian.